UMA LUZ – Jacky Lavauzelle

O DEUS VAGABUNDO
***
UMA LUZ

*Uma Luz - O DEUS VAGABUNDO Jacky Lavauzelle



Jacky Lavauzelle Poesia

*
Serie « O DEUS VAGABUNDO »
*


****
UMA LUZ


*
**

Uma Luz Jacky Lavauzelle
Nocturne en noir et or, la fusée qui retombe , James Abbott McNeill Whistler, 1874
**
Uma luz no meio da noite na chuva nos mostram um caminho. Talvez o bom! Talvez não! Nós só temos a noite como outra escolha. À noite, barulhos e cheiros, gritos e murmúrios. À noite, silêncios terríveis, dores ocultas e respirações desconhecidas. A mão segurando a lanterna está esperando por nós. Ela. Nossa escolha será sempre ir em direção a essa luz vaporosa. A fonte de luz nos tranquiliza diante desse imenso desconhecido. Essa mão será benevolente ou não? Nós temos para isso, no entanto.
« Uma noite eu mal tinha dez anos
Eu estava perdido e suado
Eu vejo esse brilho à distância.
É a lâmpada da minha madrinha.
Na casa dela um bolo esperando por mim
Eu corro, corro, a alma feliz.
Um pastor grita comigo: « Imprudente!
« A luz por você seguiu
« Acenda uma bola de mortos.  »
Então minha vida teve que se desgastar.
Fogos-fátuos ! dança, dança dança ! »
(Pierre-Jean de Béranger – Les Feux follets)

**
UMA LUZ
*

O DEUS VAGABUNDO

*Uma Luz Jacky Lavauzelle